terça-feira, 16 de julho de 2013

Por que o tzar Nikolay II foi fuzilado pelos bolcheviques?

 Por que o tzar Nikolay II foi fuzilado pelos bolcheviques?


Por Cristiano Alves




Hoje não apenas "patriotas", monarquistas e muitos democratas burgueses querem reconhecer Nikolay II como um santo. Mas por que em vida ele foi chamado pelo povo não de "santo", mas de "sanguinário"?

1895, 18 de maio - Durante sua coroação em Hodynskiy houve um protesto contra a corrupção de funcionários reais, Nikolay matou mais de 5000 pessoas;
1901, 7 de maio - Fuzilamento de Obukhov;
1902, novembro - Fuzilamento de trabalhadores de Rostov: 6 mortos e 20 feridos;
1903, 11 de março - Fuzilamento dos trabalhadores da fábrica de armas de Zlatoustovskiy, 60 mortos e 200 feridos;
1903, 14 de júlio - Fuzilamento de trabalhadores grevistas: 10 mortos e 18 feridos;
1903, 23 de julho - Fuzilamento de demonstrações em Kiev: 4 mortos, 27 feridos;
1903, 7 de agosto - Fuzilamento de operários em Yekaterimburgo: 16 mortos e 48 feridos;
1904, 13 de dezembro - Fuzilamento de operários em Baku: 5 mortos, 40 feridos;
1905, 9 de dezembro - Domingo Sangrento em São Petersburgo, fuzilamento de trabalhadores pacíficos que protestavam: 1200 mortos, mais de 5000 feridos;
1905, 12 de janeiro - Fuzilamento de operários em demonstrações, em Riga: 127 mortos e mais de 200 feridos;
1905, 18 de junho - Fuzilamento durante demonstrações em Lodzi(Polônia, território do Império Russo): 10 mortos, 40 feridos;
1905, 5 de setembro - Vergonhosa Paz de Potsmutskiy com o Japão: perdas da Rússia na guerra - 400000 pessoas;
1905, 15 de novembro - Afundamento do cruzador Ochakov e de outros navios sediciosos da Frota do Mar Negro. Perda de milhares de marinheiros de Sevastopol;
1906, 4 de julho - 28 marinheiros sediciosos de Sveaborge condenados ao fuzilamento;
1907, 3 de junho - Pressão do "santo" tzar à Duma, só que dessa vez com enforcamentos e fuzilamentos de 14 mil pessoas;
1911 - A fome, que ceifou a vida de 300 mil pessoas;
1912, 4 de abril - Fuzilamento de operários grevistas no garimpo de Lená: 254 pessoas mortas;
1914, 3 de junho - Fuzilamento de operários durante o comício de Putilov em São Petersburgo;
1915, 10 de agosto - Fuzilamento de manifestantes em Ivanogo-Voznesenskiy: 30 mortos, 53 feridos;
1914 - Perdas diárias durante a I Guerra Mundial - 30 mil;

Além de tudo isso, conheceu o governo do tzar Nikolay II um forte antissemitismo, com a publicação de um livro sobre uma suposta "conspiração judaica internacional", os Protocolos dos sábios do Sião, que inspirou pogroms antissemíticos na Rússia e semeou no país o ódio racial, que hoje é o combustível ideológico de grupos neonazistas.

Foi por todos esses crimes que o último tzar da Rússia respondeu no de 1918, em Yekaterimburgo. Tudo isso deve ser considerado antes de se sucumbir aos apelos de monarquistas.

Postar um comentário

Documentários e Vídeos

Intelectual da Ucrânia fala sobre as "repressões de Stalin"  ¡Stalin de acero, conciencia del obrero! O nome da Rússia: Stalin, por Valentin Varennikov 

Postagens populares

Seguidores