Agora

domingo, 16 de março de 2014

Historiador norte-americano desmente “terror” de Stalin


A pesada artilharia ideológica do revisionismo e da Guerra Fria contra Stálin e suas realizações na construção do socialismo na União Soviética ainda hoje se faz sentir. Não é verdade que o mero distanciamento no tempo nos permite ver com mais clareza o que se passou, como lemos tantas vezes nas capas de dezenas de livros burgueses sobre o período. Não nesse caso. Conforme nos ensina Lênin, não existe neutralidade numa sociedade dividida em classes, e, por isso, não é de se esperar que autores burgueses mudem seu ponto de vista com o passar dos anos.

quarta-feira, 5 de março de 2014

domingo, 2 de março de 2014

Michael Parenti - A Cruzada Anticomunista


Anticomunismo de Indústria

Ser comunista, ou ser anticomunista é uma questão que diz respeito ao enfoque ideológico de cada um. O autor deste livro, Michael Parenti, professor universitário norte-americano e jornalista especializado em ciência política, não é comunista, nem tem afinidades filosóficas com o marxismo.

No entanto, achou oportuno e necessário escrever este livro,

A Cruzada Anticomunista,

porque constatou, ao longo de documentada pesquisa, que o “anticomunismo” ultrapassou seus confessados propósitos para se transformar numa histeria de violência, de absoluto desrespeito pelos direitos.fundamentais do homem.

Partindo da realidade imediata, que é a norte-americana, Michael Parenti extrapola suas conclusões para o plano internacional, e conclui que “o anticomunismo produziu e continua produzindo corridas armamentistas, terror nuclear, fortalecimento de autocracias opressivas, reacionarismo anti-revolucionário, morte ou incapacitação física de milhares de jovens soldados norte-americanos, genocídio de centenas de milhares de civis indefesos”.