sábado, 26 de janeiro de 2013

URSS UMA NOVA CIVILIZAÇÃO - OS WEBBS - PREFACIO - CAPITULO I — A Constituição em conjunto




URSS Uma nova civilização - sidney e beatrice webb CAPITULO I
  • A Constituição em conjunto

Nota de Esclarecimento sobre o debate com O Communard



Mentiras de um socialdemocrata perdido em pleno século XXI 

Por: Ícaro Leal Alves

Os leitores devem estar informados que nossos travamos nos últimos dias um debate de ideias honesto com o Editor de O Communard. O último e final episodio desse debate foi um epitáfio do mesmo escrito pelo mesmo Communard. Como em todo debate, o nosso contraditor que se escondeu atrás da mascara de “camaradagem” foi mais uma vez desonesto. Como vinha fazendo em todo debate mentiu e destorceu os fatos. 
            Nesse blog, onde temos um compromisso infindável com a verdade, nos vemos obrigado a esclarecer os fatos.

“O epitáfio de uma discussão impossível”


Como sabemos, nosso Communard decretou a morte desse. No decreto de nosso debatedor honesto afirma que o motivo do fuzilamento das discussões foi uma serie de comportamentos lamentáveis de nossa parte. Um deles o de não haver liberado o seu comentário lamentando o último artigo por nós publicado(1).

            No entanto, o Carrasco de nossa discussão mentiu. Ele não fez nenhum qualquer comentário no República Socialista. Todos os comentários são publicados após passarem por moderação, exceto se oferecerem conteúdo racista ou palavras de baixo-calão e ofensas pessoais.

            Os comentários do nosso Communard, por sua vez, não só estão liberados, como a prova de que ele não teve nenhum comentário barrado é que permanece disponível seu comentário em Resposta ao Connard de Lúcio jr. Resposta a qual ele minha acusa de não ser franco.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Sobre as origens da teoria do socialismo em um só país


"Neste artigo, examinamos as origens da teoria do “socialismo em alguns, ou mesmo num só país capitalista tomado isoladamente”. Tal esforço se faz necessário para contrapor a recorrente lenda, criada e difundida pelo trotskismo, de que tal teoria teria sido criada por Stalin em 1924, bem como de que servisse como expressão da estreiteza nacional de uma crescente burocracia soviética conservativa."


quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

RESPOSTA AO "CONNARD"




Por: Lúcio jr
Questionei, outro dia, um tal "communard" por desejar que não se falasse sobre Stálin no Portal O Vermelho, do PC do B. Ele me chamou de "stalinista" e depois cortou minha resposta, o "connard" (bobão, em francês).
Stálin está na história e em boa parte na origem do PC do B, que podemos dizer que se formou ideologicamente em 62. Ele, que se diz sociald-democrata, já me etiquetou de stalinista logo de saída. O texto dele está aqui:

Eu decidi não perder tempo com tantos argumentos de um social-democrata. Para ele, a revolução de 17 não deveria ter acontecido, assim como, embora ele poupe Trotsky, ele insiste na tal da revolução permanente ( teoria de Trotsky!!!). Ele é contra Lenin, Stalin e "Trotsky caiu com a URSS", mas se diz comunista. E ainda pontifica que não se deveria falar em Stálin. Por que não largar o PC do B e ir para um partido social-democrata, meu chapa???
O que se pode dizer para alguém assim? Por que há tantos social-democratas, ou seja, liberais reformistas, em partidos comunistas no Brasil? E o pior, para ele, "estatismo" é algo ruim, que o Marx que ele cria só para si (Marx é ele) rejeitava. Mas um social-democrata de verdade é a favor do estado empresário, do estado de bem-estar social.
Ou seja: o bobo "connard"), é um neoliberal fraudador, expert em sofistarias, se escondendo atrás do nome de Marx.
Vejam a que ponto chegamos: as pessoas estão num partido comunista, mas são na verdade neoliberais governistas. E ainda se permitem cobrar dos outros o que pode e o que não pode.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

NOVA CARTA ABERTA AOS EDITORES DE O COMMUNARD



Salvador, Bahia, Brasil
22 de janeiro de 2013

Senhores editores. Gostaria de demonstrar minha gratidão pelo espaço concedido. Fiquei verdadeiramente grato por terem postado minha Carta na integra no vosso portal e pela rapidez da resposta. Também gostaria de advertir sobre o fato de que caso pretendam continuar essa conversa após esta carta talvez minhas respostas passem a demorar um pouco mais e se tornem mais curtas. Já que a partir do dia 28 do corrente mês retomo minhas atividades universitárias. Mas decide aproveitar enquanto ainda tenho algum tempo livre, que costumo ocupar com meus estudos particulares sobre a história do socialismo para esclarecer alguns pontos levantados por vocês em sua resposta ao Lúcio e a mim.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

CARTA ABERTA AOS EDITORES DE O COMMUNARD




Salvador, Bahia, Brasil

21 de janeiro de 2013

Carta aos editores do portal O Communard

Senhores, respeitabilíssimos editores do Portal O Communard. Em respeito aos senhores venho comunicar através de esta minhas opiniões acerca de uma publicação da sua página: “Carta Aberta: Crítica ao Stalinismo do Portal Vermelho”. 
O texto é velho. Data de já uns quatro anos. Mas só hoje tomei conhecimento dele. Creio que o tema é sempre atual, portanto não haverá problemas com o atraso da minha carta. 
O primeiro problema do mencionado texto é a vinculação dos pecedobistas com o stalinismo. Primeiro; o que é o stalinismo? Penso que nem mesmo o autor do texto poderia nos responder isso. Já que ele não faz claramente. O próprio Stalin se recusava a admitir que existisse uma doutrina política que pudesse ser classificada como stalinismo, e, ele mesmo se considerava um marxista-leninista. O termo stalinismo é muito mais utilizado por seus detratores do que por seus seguidores. Pode-se dizer que ela é uma palavra inventada por Trotsky, que tentava desesperadamente desvincular Stalin do legado bolchevique e apresenta-se, obviamente que sem sucesso, pelo menos dentro da União Soviética, como herdeiro de Lenin e do bolchevismo. 

EM 21 DE JANEIRO DE 1924 MORRIA LÊNIN



Em 21 de Janeiro de 1924 faleceu o grande organizador e herói da gloriosa revolução Russa, Vladimir Ilyitch Uliánov, em russo, Владимир Ильич Ульянов, neste dia a Comunidade Stálin lembra e homenageia esse gênio do proletariado internacional.

sábado, 19 de janeiro de 2013

Stalin. El gran vencedor de la II Guerra Mundial



"Stalin es un hombre de imponente personalidad, apropiado a la época sombría y tormentosa que le ha tocado vivir" (Churchill)

Introducción

Con motivo de la celebración de los 65 años del triunfo de los aliados sobre las hordas Hitlerianas, los historiadores modernos no acaban de ponerse de acuerdo sobre la importancia de la participación de la URSS y la acertada, inteligente y valerosa dirección de José Stalin.

Pocas figuras históricas han sido tan debatidas, vilipendiadas, ofendidas o exaltadas como la figura de José Stalin. En el 2008 en Rusia se realizó una encuesta para definir el personaje más importante en la historia de Rusia y a Stalin le arrebató el primer puesto un príncipe medieval, Alexander Nevski (año 1220), líder ruso y santo de la iglesia ortodoxa, que luchó contra los suecos, teutones y tártaros que amenazaban la ciudad de Nòvgorod. Pero fuè el propio Stalin quien se encargó de exaltar a Nevski en las vísperas de la II Guerra Mundial, pues encargó al director Sergio Eisenstein para que rodara una película sobre él. Ninguna persona, institución o nación vive el presente absoluto: "La tradición de todas las generaciones muertas oprime como una pesadilla el cerebro de los vivos" (1)

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Cadernos de Educação Popular 4 - Luta de classes



Baixar documento (Hotfile)
Baixar documento  (4shared)
  VOLUME I

INTRODUÇÃO

I PARTE: AS CLASSES SOCIAIS.


1. O conceito de classes sociais
Os diferentes sistemas de produção e as relações de produção. Exploradores e explorados e a propriedade dos meios de produção. Antagonismo entre os grupos sociais. Importância do tipo de exploração. As classes sociais fundamentais no sistema capitalista de exploração.
2. O conceito de burguesia ou classe capitalista
O que é o capital. Capital e mais-valia. Diferentes tipos de capital: industrial, bancário e comercial. Repartição da mais-valia. As frações de classe burguesas e a sua evolução. Definição de burguesia ou classe capitalista. Es-quema-resumo.
3. O conceito tfè proletariado
Distinção entre proletariado e classe assalariada. Venda da força de trabalho e mais-valia. Os assalariados que não são proletários.
A função técnico-administrativa na produção e o grupo social que determina. Proletariado produtivo e improdutivo. Os operários industriais — vanguarda do proletariado. Definição de proletariado. Esquema-resumo.
4. Classes de transição — a pequena burguesia
Relações de produção dominantes e relações de produção subordinadas. Os produtores independentes, sua origem histórica e destino no sistema capitalista de produção. Definição de pequena burguesia. Conceito de classe de transição. Esquema-resumo.
5. Critica da noçSo de "classe média"; classes e grupos sociais
Crítica do conceito burguês de "classe média". Distinção entre o conceito de classe social e grupo social. Os grupos sociais ligados à superestrutura. Os grupos sociais ligados â função técnico-administrativa na produção. A importância política desta distinção. A luta entre as classes sociais como motor da História.
6. O desenvolvimento do capitalismo origina o crescimento do proletariado
O desenvolvimento do capitalismo conduz à proletarizaçâb crescente das grandes massas. A proletarizaçâb dos camponeses independentes e da pequena burguesia industrial e comercial.  A penetração das relações de produção capitalista na esfera comercial: da pequena loja ao supermercado. Da pequena indústria à moderna empresa capitalista. O proletariado é a única classe revolucionária até ao fim.
7. Interesse de classe, consciência de classe e posição de classe
Importância da distinção entre interesses espontâneos imediatose interesses estratégicos a longo prazo. Consciência de classe. Posição de classe.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Khrushchev Lied completo em Inglês


Baixar documento (4shared)
Khrushchev Lied
The Evidence That Every “Revelation” of Stalin’s (and Beria’s) Crimes in Nikita Khrushchev’s Infamous “Secret Speech” to the 20th Party Congress of the Communist Party of the Soviet Union on February 25, 1956, is Provably False

Mais uma vez sobre Katyn: A fábrica de "verdades" do capitalismo russo


Luiz Carcerelli
Uma onda de calúnias e difamações contra o poder soviético foi minuciosamente fabricada pelos revisionistas ao longo de décadas. As "verdades" fabricadas contra o primeiro Estado socialista da história foram iniciadas por Kruchov e passadas de mão em mão pela camarilha que se apoderou do Kremlin, até que Gorbachov conduziu à derrocada do social-imperialismo russo e formalizou a sua passagem ao capitalismo.

domingo, 13 de janeiro de 2013

Stalin regresa a Georgia

Por Sergei Kornienko. Enviado por Comstol.info. Traducción de Igor T




Ahora en el pueblo georgiano de Telavi, región de Kajeti (al este de Georgia) ha sido restaurado un busto de José Stalin, que había sido desmantelado en el año 2010, y que se mantenía guardado en un local (noticias de la web tsn.ua)

"Tuvimos un error, porque la historia no se puede borrar. ¿Era bueno o malo?, es la historia, y él era georgiano. Hoy tenemos un gobierno que permite poner un monumento a Stalin. Antes, la gente tenía miedo a salir, y decir lo que pensaba, hoy hay mayor libertad. Vamos a salir, y decir que este monumento debe ponerse de pie" relata en el Centro de Información de Kajeti el residente local Elgudzha Bluishvili.

También informó que se tiene previsto restaurar el monumento a Stalin en su ciudad natal, Gori. El gobierno local se ha comprometido a que los materiales adecuados.


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

A grande Conspiração - A Guerra Secreta Contra a Rússia Soviética - LIVRO II (Completo)


Baixar documento (Hotfile)
Baixar documento  (4shared)

ÍNDICE


LIVRO II
SEGREDOS DO CORDÃO SANITÁRIO


VIII — A CRUZADA BRANCA 

 1. O fermento da segunda guerra 
— 2. Êxodo dos russos brancos 
— 3. Um cavaleiro de Reval 
— 4. O Plano Hoffmann..

IX — A ESTRANHA CARREIRA DE UM TERRORISTA 


1. O retomo de Sidney Reilly 
— 2. Um negócio como qualquer outro 
— 3. Dominga em Chequers 
— 4. O tribunal de Moscou, 1924.

X — RUMO À FRONTEIRA FINLANDESA 



 1. Antibolchevísmo na Broadway 
— 2. Agente BI 
— 3. Cem negros em Detroit 
— 4. O fim de Sidney Reilly.

XI — OUVERTURE COM TAMBORES DE GUERRA

XII — MILIONÁRIOS E SABOTADORES 



 1. Uma reunião em Paris 
— 2. Flano de ataque 
— 3. Uma vista dolhos atrás dos bastidores 
— 4. Fim do mundo.

XII — TRÊS JULGAMENTOS 


 1. O julgamento do Partido Industrial 
— 2. O julgamento dos mencheviques 
— 3. O julgamento dos engenheiros da Vickeis.

XIV — O FIM DE UMA ÉPOCA .



terça-feira, 8 de janeiro de 2013

A GRANDE CONSPIRAÇÃO CAP XII - LIVRO II


IVRO II
XII — MILIONÁRIOS E SABOTADORES
Baixar documento  (4shared)


XII — MILIONÁRIOS E SABOTADORES 
—1. Uma reunião em Paris
— 2. Plano de ataque
— 3. Uma vista, dolhos atrás dos bastidores
— 4. Fim do mundo.


A grande Conspiração CAP XII - LIVRO II

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

STALIN ERA ANTISEMITA? ARTIGO DE STALIN SOBRE O ANTISEMITISMO




Resposta a uma pergunta da Agência Judaica de Notícias nos EUA

Em resposta à sua pergunta:

O chauvinismo nacional e racial é um vestígio de costumes misantrópicos característicos do período do canibalismo. O antisemitismo, como uma forma extrema do chauvinismo racial, é o vestígio mais perigoso do canibalismo.

O antisemitismo é vantajoso para os exploradores como um para-raios que desvia os golpes destinados pelos trabalhadores ao capitalismo. O antisemitismo é perigoso para os trabalhadores como sendo um falso caminho que os tira do caminho correto e os leva para a selva. Os comunistas, portanto, como internacionalistas consequentes, só podem ser inimigos jurados e irreconciliáveis do antisemitismo.

Na União Soviética o antisemitismo é punível com a maior severidade da lei como um fenômeno profundamente hostil ao sistema soviético. Sob a lei da URSS antisemitas ativos são passíveis de pena de morte.

Joseph Stalin
Fonte: Obras Completas de J. Stalin, vol. XIII
Tradução do inglês por O Marxista-Leninista

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O Papel da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas na Vitória Aliada Durante a II Guerra Mundial.




Por: João Claudio Platenik Pitillo

Introdução
Essa pesquisa foi sistematizada de forma a jogar luzes sobre números e fatos acercada participação soviética na II Guerra Mundial, que são omitidos e distorcidos a pelo menos50 anos nos países capitalistas. Na impossibilidade de tratar de todos os fatos envolvendo aUnião Soviética (URSS) na Segunda Guerra Mundial nesta monografia, escolhi dar ênfaseaos acontecimentos pós Batalha de Kursk, que a meu ver, foram os mais vitimados pelafalsificação proveniente da “Guerra Fria”.
A “Guerra Fria” que teve na cultura um de seus maiores campos de batalha forjouideólogos, escritores, historiadores, jornalistas e demais interessados na matéria, muitohábeis em relatar uma Segunda Guerra Mundial que se resumia ao massacre dos judeus, aodesembarque na Normandia e ao ataque japonês a Pearl Harbor. Com isso, o Ocidentepassou a consumir a cada 06 de junho uma série de produções onde a URSS não estápresente.

Documentários e Vídeos

Intelectual da Ucrânia fala sobre as "repressões de Stalin"  ¡Stalin de acero, conciencia del obrero! O nome da Rússia: Stalin, por Valentin Varennikov 

Postagens populares

Seguidores