Agora

terça-feira, 30 de julho de 2013

O Sistema Político na Coréia do Norte




"A fim de levar adiante exitosamente a causa socialista, a causa comunista, é preciso fortalecer o sujeiro da revolução e incrementar seu rol mediante a compacta aglutinação de todos os membros da sociedade em uma só força política, e exercer com rigor a ditadura sobre os inimigos de classe. A tarefa de mobilizar as massas populares na luta revolucionária e tarefa construtiva para a realização de sua independência só pode ser levada a cabo através do Poder popular baixo a direção do partido da classe trabalhadora."- Kim Jong Il em "DESPLEGUEMOS EN MAYOR GRADO LA SUPERIORIDAD DE NUESTRO PODER POPULAR" pg.3-4, 1992

Coreia Popular exige liberação de seu barco e tripulação detidos ilegalmente no Panamá



Em entrevista especial para a Agência Central de Notícias da Coreia (KCNA) o Ministério das Relações Exteriores da RPD da Coreia demanda ao governo do Panamá que libere o barco Chongchonggang que partiu do porto de Havana – Cuba, para voltar à Coreia pelo canal do Panamá.

“Recentemente ocorreu um incidente anormal em que as autoridades de investigação do Panamá detiveram o barco comercial de nosso país o Changchanggang que saiu de Havana e ia passar pelo canal do Panamá sob infundadas suspeitas de transporte de drogas. Prenderam o capitão e os 35 tripulantes coreanos atacando-os com violência e revistando à força o carregamento. Ao não descobrirem nenhuma droga tentaram defender sua ação violenta questionando outra carga. Essa carga se trata de armas velhas que devem ser reparadas e devolvidas a Cuba de acordo com contrato legítimo. As autoridades do Panamá devem tomar a medida de permitir de imediato a saída de nossos marinheiros e do barco detidos.”

Coreia Popular comemora 60 anos de vitória na guerra



Os festejos pelo 60º aniversário da vitória na guerra de 1950 a 1953 na República Popular Democrática da Coreia (RPDC) começaram nesta terça-feira (23), com o festival de mosaicos humanos Arirang, a maior representação mundial de ginástica. O dirigente Haroldo Lima viaja à Coreia para representar o Partido Comunista no Brasil nos festejos.

Para Haroldo essa data é muito significativa não só para os coreanos, mas para todos os povos do mundo, pois foi a primeira vez que um povo oprimido consegue derrotar o maior exército de guerra, os EUA.

Segundo Haroldo, o líder Kim II-sung foi o grande arquiteto desta vitória do exército guerrilheiro e por isso, merece ser saudado. Segundo conta Haroldo, os Estados Unidos tinham a ideia de tomar toda a Coreia e invadir a China, mas neste instante, Mao Tsé-tung conclamou o voluntariado para apoiar e defender o lado norte da Coreia. “Foi um milhão de chineses que aderiram à luta”.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

ARTIGO: "Democracia Burguesa e Fascismo" (Harpal Brar) - parte III

Em maio de 2000, Harpal Brar, presidente do Partido Comunista da Grã Bretanha (Marxista-Leninista), apresentou o artigo "Democracia Burguesa e Fascismo", no Seminário Internacional Primeiro de Maio, em Bruxelas, organizada pelo Partido do Trabalho da Bélgica (PTB). Segue a terceira parte da tradução (a primeira parte do artigo pode ser lido aqui e a segunda parte,aqui):


"DEMOCRACIA BURGUESA E FASCISMO"

1. Fascismo: Crescimento repentino?
2. O que é o Fascismo?
3. Itália, então um país atrasado
4. Alemanha, a traição da Socialdemocracia
5. A Socialdemocracia aos olhos dos capitalistas
6. Fascismo e Demagogia
7. Fascismo e a Guerra
8. As bases das Liberdades Democráticas nos Estados imperialistas
9. Estados como Grã Bretanha, França ou Estados Unidos são alheios ao Fascismo?

CLASSES SOCIAIS NECESSÁRIAS E SUPÉRFLUAS


Importante e pleno de actualidade este artigo de Engels, numa altura em que tanto se fala, por exemplo, nos proventos dos accionistas das empresas cotadas na bolsa, e nos salários e prémios dos gestores públicos ou privados...
Engels demonstra aqui de forma clara e sintética como evolui o sistema capitalista de produção e como este cava de forma inexorável a sua própria sepultura - não restando outro caminho à sociedade que não seja desapossar do poder a classe capitalista, exploradora, cada vez mais parasitária e supérflua.
  

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Por que defendo Stálin – reação a duas publicações burguesas


Stalin costumava perguntar, durante as sangrentas batalhas em Stalingrado e nos arredores de Moscou, capital que ele nunca pensou abandonar, os invasores nazistas já enfraquecidos, e seus aliados fascistas, as tropas italianas, já derrotados, o seguinte: "Quantas divisões tem o papa Pio 12?", o grande admirador de Hitler.
No dia 7 de março último, a Folha de S. Paulo, na seção Mundo, publicou as duas fotos acima, uma delas de duas venezuelanas da classe alta, sem dúvida carregadas de joias e com roupas caríssimas, recebendo abrigo na Flórida, festejando histericamente a morte de Hugo Chávez. Tive vontade de perguntar: "Quantas divisões elas têm?" Centenas de divisões made in USA. E quantas divisões tem a mulher venezuelana da outra foto, vestida humildemente, chorando de todo coração a morte do Comandante? Resposta: milhões de patriotas que são a maioria absoluta da Venezuela.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Trotsky e a história do trotskismo.


Jose Antonio Egido
                                                                       Membro do EHK - Euskal Herriko Komunistak

Trotsky foi de 1904 a 1914 um inimigo declarado de Lênin. Em 1904 ele o acusou de ser um ditador, autocrata asiático, revolucionário burguês  e cisionista fanático no seu panfleto "Nossas Tarefas Políticas". Ele se opôs à teoria leninista do partido. Trotsky foi um líder menchevique oposto  aos bolcheviques. Ele se opôs à tese de Lênin sobre a transformação da revolução democrático-burguesa em socialista, opondo a sua teoria da "revolução permanente", que nega o papel revolucionário do campesinato como aliado da classe operária.  Isso seria negar  a construção do socialismo na URSS, se houvesse uma revolução socialista no Ocidente. O tempo removeu completamente a sua razão.

POESIA: A culpa é de Stalin




Por Lucas Rubio

Escravos africanos: culpa do Stalin.
A Antártida existe: culpa do Stalin.
Hiroshima e Nagasaki: culpa do Stalin.
Nazismo: culpa do Stalin.
A Terra é redonda: culpa do Stalin.
A capital do Brasil é Brasília: culpa do Stalin.
Uma pessoa morre com um tiro na favela: culpa do Stalin.
Uma pessoa morre de fome: culpa do Stalin.
Uma pessoa morre por qualquer motivo: culpa do Stalin.
6 milhões de pessoas mortas: culpa do Stalin.
600 milhões de pessoas mortas: culpa do Stalin.
6.000.000.000.000.000.000.000 de pessoas mortas: culpa do Stalin.
A Pangéia se dividiu: culpa do Stalin.
A Lua só aparece de noite: culpa do Stalin.
Dilma é presidenta: culpa do Stalin.
Você tirou 0 em alguma prova: culpa do Stalin.
Você perdeu as chaves de casa: culpa do Stalin.
Sua internet caiu: culpa do Stalin.
Seu PC pifou: culpa do Stalin.
Você não tem namorada (o): culpa do Stalin.
Roubaram seu celular: culpa do Stalin.
Você está sem crédito: culpa do Stalin.
Sua (seu) namorada (o) te traiu: culpa do Stalin.
Você não ganhou na Mega Sena: culpa do Stalin.
Ficou de recuperação na escola: culpa do Stalin.
Seu programa de TV favorito não passa mais na TV: culpa do Stalin.
I Guerra Mundial: culpa do Stalin.
II Guerra Mundial: culpa do Stalin.
Guerra do Vietnã: culpa do Stalin.
Guerra da Coreia: culpa do Stalin.
Guerra do Iraque: culpa do Stalin.
Guerra dos Farrapos: culpa do Stalin.
Guerra do Contestado: culpa do Stalin.
Guerra de Canudos: culpa do Stalin.
Guerra nas Estrelas: culpa do Stalin.
Todas as pessoas mortas na II Guerra: culpa do Stalin.
Seus pais não te deixaram sair pra namorar: culpa do Stalin.
O cinema tá caro: culpa do Stalin.
A gasolina tá cara: culpa do Stalin.
Inflação: culpa do Stalin.
Aumento das passagens de ônibus: culpa do Stalin.
Os carros tem 4 rodas: culpa do Stalin.
Você foi mordido por um cão: culpa do Stalin.
Um gato te arranhou: culpa do Stalin.
Hugo Chávez chegou à presidência: culpa do Stalin.
Você está com dor de cabeça: culpa do Stalin.
Roubaram seu carro: culpa do Stalin.
Roubaram qualquer coisa sua: culpa do Stalin.
Você está encalhado (a): culpa do Stalin.
Acabou a luz nos 99% do seu download: culpa do Stalin.
Comem alguma coisa que você estava guardando na geladeira: culpa do Stalin.
Você prende seu pênis no zíper: culpa do Stalin.
Médicos cubanos estão vindo para o Brasil: culpa do Stalin.
Não te avisaram para correr para as colinas por causa do fato acima: culpa do Stalin.
Não descobriram o assassino (a) de Odete Roitman: culpa do Stalin.
Seu cachorro morreu: culpa do Stalin.
O Stalin tem culpa de algo: culpa do Stalin.
O Stalin se chama Stalin: culpa do Stalin.
Você nasceu no Brasil: culpa do Stalin.
Marte não é habitada: culpa do Stalin.
PS4 tá caro: culpa do Stalin.

Fonte - A Página Vermelha

domingo, 21 de julho de 2013

Considerações sobre a experiência iugoslava


Nesse post colocarei três textos para formação política e histórica que julgo serem de extrema importância para os comunistas. O primeiro é escrito pelo historiador belga Ludo Martens; o segundo é escrito pelo comunista albanês Enver Hoxha; o último são trechos que julguei mais valiosos de um texto escrito pela redação das revistas chinesas Renmin Ribao e Hongqi, chamado "A Iugoslávia é um País Socialista? Comentário Sobre a Carta Aberta do CC DO PCUS (III)", em 26 de setembro de 1963.
  
  • A essência do titoísmo 
  • O Imperialismo e a Revolução – Enver Hoxha
  • Os seguintes trechos retirados do livro "A Carta Chinesa, a grande batalha ideológica que o Brasil não viu", do Núcleo de Estudos do Marxismo-leninismo-maoismo; 2003, Editora Terra, 542 páginas. Nesse livro não há apenas a refutação dos titoístas, mas também dos revisionistas soviéticos, liderados por Nikita Khruschev.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Nota de repúdio à retenção do navio norte-coreano Chong Chon Gang no Panamá

A Comundiade Josef Stálin reproduz aqui a nota de repúdio da União Reconstrução Comunista, contra o ato desprezível de servidão do governo panamenho, de reter um navio comercial da RDPC. Nos da Comunidade Stálin, manifestamos nossa  incondicional solidariedade ao Governo da República Democrática Popular da Coréia e condenamos veementemente a mais essa afronta do imperialismo a esse povo, que é perseguido pelas garras do imperialismo, pelo fato único e exclusivo de ter resolvido ser um povo LIVRE.




Nota - RECONSTRUÇÃO UNIÃO COMUNISTA

A União Reconstrução Comunista, por meio desta nota, manifesta o seu mais profundo repúdio pela atitude tomada pelo governo panamenho em reter no canal do Panamá o navio norte-coreano Chong Chon Gang, que havia saído de Havana em direção à República Popular Democrática da Coréia. O governo panamenho reteve o navio comercial norte-coreano alegando suspeitas de “transporte de drogas”. Como informado pelo Ministério de Relações Exteriores da República Popular Democrática da Coreia, as autoridades panamenhas prenderam o capitão e os tripulantes coreanos, atacando-os com violência.

O governo cubano reconheceu que o navio transportava açucar e armamento obsoleto, que seriam reparados e devolvidos, de acordo com os recentes acordos estabelecidos entre Cuba e RPDC. É certo que o Estado panamenho, fazendo jus a sua posição de país lacaio, agiu sob ordens do imperialismo estadunidense, que se esforça para sabotar a cooperação existente entre a Repúlica de Cuba e a República Popular Democrática da Coreia.

UNIÃO RECONSTRUÇÃO COMUNISTA
Quinta-feira, 18 de julho de 2013   

quinta-feira, 18 de julho de 2013

URSS Uma nova Civilização CAPÍTULO IV — O homem como consumidor


Baixar documento (Hotfile)


CAPITULO IV — 0 Homem como Consumidor
  • O homem como consumidor
  • A hierarquia do cooperativismo do consumo, na URSS, em 1935
  • As reuniões de associados
  • O Comité de Administração
  • A União de Rayon (União Distrital) e seu Conselho ( Raisoyus)
  • A União Provincial (de oblast) ou de Republica e seu Conselho (Obsoyus)
  • O Congresso Geral de Cooperativas de Consumo e sua Junta Central para a URSS e a RSFSR ( Centrosoyus)
  • As padarias mecanizadas
  • Educação para o cooperativismo
  • Os resultados obtidos
  • Os rivais das cooperativas- de consumo na distribuição a retalho
  • Recentes invasões das atribuições do movimento cooperativo de consumo
  • O principio do auto-abastecimento
  • A amplitude do mercado

quarta-feira, 17 de julho de 2013

terça-feira, 16 de julho de 2013

Por que o tzar Nikolay II foi fuzilado pelos bolcheviques?

 Por que o tzar Nikolay II foi fuzilado pelos bolcheviques?


Por Cristiano Alves




Hoje não apenas "patriotas", monarquistas e muitos democratas burgueses querem reconhecer Nikolay II como um santo. Mas por que em vida ele foi chamado pelo povo não de "santo", mas de "sanguinário"?

1895, 18 de maio - Durante sua coroação em Hodynskiy houve um protesto contra a corrupção de funcionários reais, Nikolay matou mais de 5000 pessoas;
1901, 7 de maio - Fuzilamento de Obukhov;
1902, novembro - Fuzilamento de trabalhadores de Rostov: 6 mortos e 20 feridos;
1903, 11 de março - Fuzilamento dos trabalhadores da fábrica de armas de Zlatoustovskiy, 60 mortos e 200 feridos;
1903, 14 de júlio - Fuzilamento de trabalhadores grevistas: 10 mortos e 18 feridos;
1903, 23 de julho - Fuzilamento de demonstrações em Kiev: 4 mortos, 27 feridos;
1903, 7 de agosto - Fuzilamento de operários em Yekaterimburgo: 16 mortos e 48 feridos;
1904, 13 de dezembro - Fuzilamento de operários em Baku: 5 mortos, 40 feridos;
1905, 9 de dezembro - Domingo Sangrento em São Petersburgo, fuzilamento de trabalhadores pacíficos que protestavam: 1200 mortos, mais de 5000 feridos;
1905, 12 de janeiro - Fuzilamento de operários em demonstrações, em Riga: 127 mortos e mais de 200 feridos;
1905, 18 de junho - Fuzilamento durante demonstrações em Lodzi(Polônia, território do Império Russo): 10 mortos, 40 feridos;
1905, 5 de setembro - Vergonhosa Paz de Potsmutskiy com o Japão: perdas da Rússia na guerra - 400000 pessoas;
1905, 15 de novembro - Afundamento do cruzador Ochakov e de outros navios sediciosos da Frota do Mar Negro. Perda de milhares de marinheiros de Sevastopol;
1906, 4 de julho - 28 marinheiros sediciosos de Sveaborge condenados ao fuzilamento;
1907, 3 de junho - Pressão do "santo" tzar à Duma, só que dessa vez com enforcamentos e fuzilamentos de 14 mil pessoas;
1911 - A fome, que ceifou a vida de 300 mil pessoas;
1912, 4 de abril - Fuzilamento de operários grevistas no garimpo de Lená: 254 pessoas mortas;
1914, 3 de junho - Fuzilamento de operários durante o comício de Putilov em São Petersburgo;
1915, 10 de agosto - Fuzilamento de manifestantes em Ivanogo-Voznesenskiy: 30 mortos, 53 feridos;
1914 - Perdas diárias durante a I Guerra Mundial - 30 mil;

Além de tudo isso, conheceu o governo do tzar Nikolay II um forte antissemitismo, com a publicação de um livro sobre uma suposta "conspiração judaica internacional", os Protocolos dos sábios do Sião, que inspirou pogroms antissemíticos na Rússia e semeou no país o ódio racial, que hoje é o combustível ideológico de grupos neonazistas.

Foi por todos esses crimes que o último tzar da Rússia respondeu no de 1918, em Yekaterimburgo. Tudo isso deve ser considerado antes de se sucumbir aos apelos de monarquistas.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

ARTIGO: "Democracia Burguesa e Fascismo" (Harpal Brar) - parte II

Em maio de 2000, Harpal Brar, presidente do Partido Comunista da Grã Bretanha (Marxista-Leninista), apresentou o artigo "Democracia Burguesa e Fascismo", no Seminário Internacional Primeiro de Maio, em Bruxelas, organizada pelo Partido do Trabalho da Bélgica (PTB). Como já publicamos anteriormente, nós traduzimos o artigo e iremos publicá-lo em partes nos próximos dias. Segue a segunda parte, os pontos sobre a Itália e a Alemanha.


"DEMOCRACIA BURGUESA E FASCISMO"

1. Fascismo: Crescimento repentino?
2. O que é o Fascismo?
3. Itália, então um país atrasado
4. Alemanha, a traição da Socialdemocracia
5. A Socialdemocracia aos olhos dos capitalistas
6. Fascismo e Demagogia
7. Fascismo e a Guerra
8. As bases das Liberdades Democráticas nos Estados imperialistas
9. Estados como Grã Bretanha, França ou Estados Unidos são alheios ao Fascismo?

-----

domingo, 14 de julho de 2013

ARTIGO: "Democracia Burguesa e Fascismo" (Harpal Brar) - parte I

Em maio de 2000, Harpal Brar, presidente do Partido Comunista da Grã Bretanha (Marxista-Leninista), apresentou o artigo "Democracia Burguesa e Fascismo", no Seminário Internacional Primeiro de Maio, em Bruxelas, organizada pelo Partido do Trabalho da Bélgica (PTB). Nós traduzimos o artigo e iremos publicá-lo em etapas ao longo da semana.


"DEMOCRACIA BURGUESA E FASCISMO"

1. Fascismo: Crescimento repentino?
2. O que é o Fascismo?
3. Itália
4. Alemanha, a traição da Social-Democracia
5. A Social-Democracia aos olhos dos capitalistas
6. Fascismo e Demagogia
7. Fascismo e a Guerra
8. As bases das Liberdades Democráticas nos Estados imperialistas
9. Estados como Grã Bretanha, França ou Estados Unidos são alheios ao Fascismo?

quarta-feira, 10 de julho de 2013

A derrota das tropas germanofascistas na batalha de Kursk



Trecho do livro La Gran Guerra Patria de la Unión Soviética – 1941-1945

A derrota das tropas germanofascistas na batalha de Kursk 


“A batalha de Kursk é outra página brilhante nos anais da Grande Guerra Pátria. Como nas batalhas de Moscou e de Stalingrado, se distinguiu por suas proporções e sua tensão. Durou quase dois meses [5 de julho-23 de agosto-1943] e enquanto se desenrolava em território relativamente pequeno, participaram nos sangrentos combates por ambas as partes mais de 4 milhões de pessoas, 69.000 peças de artilharia e morteiros, 13.000 tanques e canhões automotores e até 12.000 aviões de combate. O comando da Wehrmacht empregou nessa batalha mais de 100 divisões, ou seja, mais de 43% do total que se encontrava na frente soviético-germânica. Produziu-se a mais grandiosa confrontação de tanques na história da Segunda Guerra Mundial, ganha pelo Exército Soviético. As tropas soviéticas derrotaram nessa batalha 30 divisões inimigas. A Wehrmacht perdeu cerca de 500.000 soldados e oficiais, 1.500 tanques, 3.000 peças de artilharia e mais de 3.700 aviões. Durante as sete semanas de encarniçados combates, os hitlerianos perderam diariamente, em média, 10.000 soldados e oficiais entre mortos, feridos, prisioneiros e desaparecidos, cerca de 30 tanques (além dos canhões de assalto), 60 peças de artilharia e 74 aviões. A aviação soviética conquistou definitivamente o domínio do ar.

Grover Furr: Uma prova a mais da culpa de Bukharin




    Grover Furr e Vladimir L. Bobrov

A biografia de Bukharin por Stephen Cohen: Um estudo sobre a falsidade das "revelações" da era de Khrushchev [1]
Grover Furr e Vladimir L. Bobrov
Em 1929, Jules Humbert-Droz era membro do Partido Comunista da Suíça e representante da Internacional Comunista. Ele também era um grande amigo e aliado político de Nikolai Bukharin, um dos mais proeminentes líderes bolcheviques. Até então, Bukharin tornara-se um adversário político de Josef Stalin, de que fora aliado, recentemente.

terça-feira, 9 de julho de 2013

STALINGRADO SALVOU A HUMANIDADE DA SANHA NAZI-FASCISTA


Por volta de setembro de 1942, a soma das conquistas de Hitler era estarrecedora. O Mediterrâneo havia se tornado praticamente um lago do Eixo, a Alemanha nazista e a Itália fascista dominando a maior parte da costa setentrional, desde a Espanha até a Turquia e a costa meridional da Tunísia até cerca de 100 quilômetros distante do rio Nilo.
Por Max Altman
As tropas da Wehrmacht mantinham guarda desde o cabo setentrional da Noruega, no Oceano Ártico, até o Egito; da ocidental Brest no Atlântico até a parte sul do rio Volga, às bordas da Ásia Central. Regimes fascistas pré-existentes e governos fantoches faziam o jogo do Reich nazista. França, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Áustria, Hungria, Tchecoslováquia, Polônia, os Bálcãs, a Grécia e outras mais já haviam sido engolidas pelas Panzer Divisionen.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

A GRANDE CONSPIRAÇÃO - LIVRO IV - Cap XXIII

 Baixar documento (Hotfile)
Baixar documento (4shared)
XXIII  —  ANTI-COMINTERN  AMERICANO

—  1.  Herança  dos  Cem  Negros 
 —  2.  “Salvar  a América  do comunismo”  
—  3.  O  caso  de  Paul  Scheffer 
 —  4.  O  Comité  Dies  
—  5.  Águia  solitária.


sábado, 6 de julho de 2013

Jorge Amado na cidade do ‘Prêmio Stalin da Paz’

Jorge Amado em Volgograd
O blog English Russia, um dos favoritos da casa, lascou hoje uma sessão de fotos de ‘Grandes Pessoas em uma Grande Cidade’. Nela, além de Che Guevara, Fidel Castro, Tito Broz, Ho Chi Min, Gamal Abdel Nasser, aparece o nosso grande Jorge Amado.
Lógico que eles não explicaram o que nosso autor estava fazendo em Volgograd – ainda era conhecida pelo nome de ‘rebatismo’ à época: Stalingrado. Pois bem, o brasileiro esteve lá em 1951, para receber o então ‘Prêmio Stalin da Paz’, uma resposta soviética ao Prêmio Nobel. Amado é, literalmente, amado por todos os países da ex-União Soviética, onde seus livros fizeram e fazem muito sucesso, tendo influenciado gerações e gerações.
Jorge Amado escreveu ainda ‘O Cavaleiro de Esperança’, onde exaltava Luiz Carlos Prestes. Aliás, o político até hoje é chamado por esse apelido, pelos mais velhos. O escritor também ganhou a simpatia dos soviéticos após escrever o ‘Mundo da Paz’, no qual descrevia sua viagem pelos países socialistas.
Além de Amado, outros dois brasileiros receberam a condecoração, concedida pelo governo soviético a personalidades de todos os campos. Eliza Branco, notória ativista do comunismo, em 1952, e Oscar Niemeyer, outro defensor do comunismo e que dispensa maiores apresentações, em 1963.
Em 1956, a condecoração foi rebatizada de ‘Prêmio Internacional Lênin para o fortalecimento da Paz entre os povos’. Em 11 de dezembro de 1989, o prêmio passou a ser referido como ‘Prêmio Lênin da Paz’. Foi finalmente extinto em 1991, com a dissolução da URSS.

Fonte - FALANDO RUSSO

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Nota do P.C.I.M.L sobre os protestos nestas semanas do povo brasileiro



O PCIML  ESTA PERTO DO POVO BRASILEIRO  EM LUTA

O Comitê Central do Partido Comunista Italiano Marxista-Leninista expressa a sua mais profunda e sincera proximidade e solidariedade com o povo brasileiro que nestas semanas está em luta simplesmente por uma vida melhor. Não há um Mundial e uma Olimpíada, embora eventos únicos e talvez irrepetíveis,  se para organizar estas manifestações se pisoteiam os direitos do povo brasileiro. Talvez uma vez quando o futebol ou o esporte era tudo pra o povo, o poder podia enganar a gente dizendo que a organização daquele evento podia melhorar a vida das pessoas, agora não, o povo entendeu tudo, e se para organizar estes eventos quem  tem as consequências piores é o povo então bem vindas os protestos justos e sacrossantos.

O PCIML  Estará sempre e sem hesitações com o povo brasileiro!

O Comitê Central do P.C.I.M-L.


http://www.pciml.org/

Enviado pelo camarada - Claudio Buttinelli


A VIDA PRIVADA DE STÁLIN


Um pai carinhoso, dedicado à família e que adorava reunir os familiares e amigos para almoçar em sua casa de campo: estes são alguns dos aspectos da vida de Stálin revelados no livro A Vida Privada de Stálin, publicado este ano no Brasil pela editora Jorge Zahar.
A autora é Lilly Marcou, historiadora francesa de origem romena que estudou a vida do líder soviético por mais de 30 anos. Embora se defina, ao mesmo tempo, como "não comunista", mas "fascinada" pelo personagem Stálin, Marcou não consegue esconder em seu livro sua admiração pela vida do grande líder bolchevique, o que também não passou despercebido pelos veículos de comunicação mais reacionários, que a acusaram de ser demasiado "condescendente" com Stálin.
ORIGENS
Lilly Marcou nos conta a história de Stálin desde os seus primórdios em Gori, na Geórgia. Nascido numa casinha de dois cômodos, com piso de tijolos, laje de argila e buracos no teto, a casa de Sosso – apelido de infância de Stálin – sempre inundava quando chovia. Seu pai, alcoólatra e ausente, costumava espancar a mãe e até o próprio Sosso quando ainda recém-nascido. Certa vez, quando já crescido, Sosso chegou a atirar uma faca contra o pai ao vê-lo batendo na mãe. Por pouco não o acertou, e por isso teve que se esconder por vários dias na casa de vizinhos.

DEMOCRACIA POPULAR X DEMOCRACIA COMO VALOR UNIVERSAL OU: COMO CARLOS NELSON COUTINHO ARRUINOU A ESQUERDA BRASILEIRA


LÚCIO JR
Escrevo esse artigo mais como militante do que como artigo científico. É mais um artigo de combate, dirigido contra a enorme moda do marxismo gramsciano no Brasil, uma verdadeira "Gramsci-mania".
Os conceitos de Gramsci hoje são a forma por excelência com que o revisionismo anula o marxismo-leninismo no Brasil e precisam urgentemente ser combatidos e contestados.
O conceito de bloco histórico desmantela a idéia do Partido de Vanguarda, a criação de uma hegemonia fornece argumentos para a falácia da revolução socialista pela via parlamentar, a divisão entre marxismo ocidental e oriental, já exposta pelo esquerdista Pannekoek nos anos 20, serve para melhor desvalorizar a experiência russa como modelo, descartando Lênin, que só seria útil para a Rússia e suas particularidades. Na prática, esquerdistas como Pannekoek, ao deixar de lado o norte que é a teoria de Lênin, oscilam entre a revolução de qualquer jeito agora e o derrotismo profundo, quando não, passam para o lado da reação, em geral a troco de remuneração.

POVO RUSSO CONDENA GORBACHEV E YELTSIN, E APROVA LÊNIN E STALIN


Uma pesquisa realizada na Rússia, divulgada nesta terça-feira (22) pelo Instituto Levada Center, de Moscou, revela algumas coisas importantes na memória histórica do povo russo.
Por José Carlos Ruy
A primeira delas é a valorização dos governantes russos que, ao longo do século 20, defenderam a nação; a outra é a alta aprovação dos governantes comunistas; finalmente, transparece a condenação e o repúdio daqueles que traíram a Pátria e o socialismo.
Os números são expressivos. O tzar Nicolau, que governou até a revolução russa de 1917 e conduziu o país durante duas guerras de grande envergadura (a guerra russo-japonesa de 1905 e a Primeira Guerra Mundial), foi visto de maneira positiva por 48% dos entrevistados, mesmo depois de 95 anos do fim de seu reinado.