segunda-feira, 22 de abril de 2013

Referendada na Rússia vigência da obra de Vladimir I. Lenin




Moscou, 22 abril (Prensa Latina) O presidente do Partido Comunista da Federação da Rússia (PCFR), Guennadi Ziuganov, referendou hoje a vigência da obra de Vladimir I. Lenin, em memória ao líder da primeira Revolução socialista do mundo.

Acompanhado de um grupo de pioneiros e jovens, Ziuganov afirmou, no aniversário 143 do natalício de Lenin, que a própria história tem demonstrado constância fiel da veracidade de seu legado e do Estado soviético fundado por ele, na década de 1920.

Pela primeira vez um político propôs-se fundar um país, um lugar pacífico no planeta Terra, e criou-se um partido de novo tipo que sobreviveu a terríveis condições, afirmou o dirigente da segunda força política na Rússia, depois de depositar flores ante o Mausoléu de Lenin.

Destacou que sob sua condução, foi criado o grande Estado soviético, que dignificou o trabalho e o operário. Os trabalhadores participaram pela primeira vez na história como protagonistas e fundadores de uma nova sociedade, com suas próprias mãos e talento.

Ziuganov lamentou as tentativas na sociedade atual de tergiversar a história e o passado deste país relacionado com Lenin, e com o período de José Stalin. É triste que isso suceda, mas por fortuna a história referenda sua obra, assegurou.

Relacionou com o período leninista a política de modernização e industrialização, levada a cabo nesses anos, o que permitiu deixar atrás uma nação semifeudal e a converter em uma grande potência, capaz de vencer o fascismo e conquistar o cosmos.

Pediu o líder comunista não esquecer que no desfile de 9 de maio de 1945 desfilaram as bandeiras das divisões e agrupamentos de todas as armas e frentes que combateram com heroísmo durante a Grande Guerra Pátria.

"Que não esqueçam que o grande vencedor foi o Exército Vermelho, que defendeu ao país, dirigido pelos comunistas", enfatizou.

Evocou assim que se edificou uma união de nações, que "fomos capazes de construir uma força de irmandade indestructível de todos os povos irmãos", em referência à União Soviética, cuja desintegração em 1991 é lamentada ainda por uma maioria da opinião pública desses países.

Ziuganov chamou às jovens gerações a sentir orgulho pelas páginas gloriosas da história nacional e a não esquecer que se trata da história do grande estado soviético, "faro e guia para muitas outras nações e povos", afirmou.

Só recordando com orgulho o realizado por nossos antecessores poderemos olhar com segurança e confiança para o futuro, considerou.

Em coincidência com o natalício de Lenin, Ziuganov evocou dois festejos próximos, o Dia da Solidariedade, o 1 de Maio, e o da Vitória.

Só a luta de Lênin pela solidariedade e a justiça puderam garantir nosso triunfo em 9 de maio de 1945, afirmou o dirigente comunista russo.

À homenagem a Lênin foi com o Mausoléu -fechado e coberto durante cinco meses por uma cúpula branca- representantes de todas as gerações de russos, e de outras nacionalidades, com bandeiras vermelhas de organizações de esquerda e da extinta União Soviética.


Fonte - Prensa Latina

Retirado de - Pensar Netuno
Postar um comentário

Documentários e Vídeos

Intelectual da Ucrânia fala sobre as "repressões de Stalin"  ¡Stalin de acero, conciencia del obrero! O nome da Rússia: Stalin, por Valentin Varennikov 

Postagens populares

Seguidores