sábado, 15 de dezembro de 2012

COREIA POPULAR COLOCA EM ÓRBITA, SEM FALHAS, SEU SATÉLITE KWANGMYONGSONG-3



Foi realizado com sucesso o lançamento nesta quarta-feira (12) pela República Popular Democrática da Coreia o satélite Kwangmyongsong 3 a bordo do foguete transportador Unha 3. O foguete foi lançado às 9:49:46 do dia 12 de dezembro do Campo de Lançamento de Satélites Sohae no distrito de Cholsan na província de Pyong-an do Norte e pôs o satélite na órbita prevista às 9:59:13, 9 minutos e 29 segundos após o seu lançamento.
  O satélite científico-técnico dispõe dos meios de medição e comunicação necessários à observação do globo terrestre. “O lançamento exitoso do satélite é resultado de uma política de dar importância à ciência, à técnica e à economia do país e constitui-se num acontecimento transcendental para desenvolver essas áreas do conhecimento científico levando o país a exercer plenamente o direito independente de usar o cosmo com fins pacíficos” informou a Agência Central de Notícias da Coreia.

  Os EUA, o Japão e a Coreia do Sul condenaram o lançamento acusando a RPDC de realizar de forma encoberta teste de mísseis balísticos de longo alcance, acusação que não se sustenta pois até mesmo os EUA reconheceram a entrada em órbita do satélite. “O foguete deslocou um objeto que entrou em órbita”, afirmou o Comando de Defesa Aeroespacial Norte-americano (NORAD) à tarde à imprensa. Esta foi a primeira vez que esse organismo corrobora informações sobre a questão vinda da RPDC.
  O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da RPDC declarou logo após o bem sucedido lançamento do satélite Kwangmyongsong 3 que “o lançamento vitorioso do satélite artificial é um trabalho realizado com fins pacíficos correspondente ao legado do Dirigente Kim Jong Il e parte do plano de desenvolvimento científico-técnico para melhorar as condições de vida do povo coreano que está muito feliz e emocionado e aproveita para compartilhar essa alegria felicitando sinceramente a toda a humanidade progressista.
   “Entretanto forças hostis estão questionando injustamente nosso direito em fazer o lançamento do satélite com fins pacíficos sob o pretexto de estamos “violando resoluções” do Conselho de Segurança da ONU.
   “O direito ao uso pacífico do cosmo é reconhecido pelo universal direito internacional que expressa a vontade geral da sociedade internacional e portanto não é um tema em que o Conselho de Segurança possa impor seus mandos.
    “Parte do sentimento de hostilidade contra a RPDC o intento de ver obstinadamente o lançamento de satélite artificial – unicamente quando é executado pela RPDC – como disparo de míssil de longo alcance com fins militares, ato provocativo e fator de agravamento da situação.
   “A concepção de hostilidade não convence a ninguém e mediante o enfrentamento não se pode resolver nenhum problema. 
“Desejamos que todas as partes interessadas mantenham o juízo e a serenidade para que a situação não evolua no rumo que ninguém deseja”, concluiu o MINREX através de seu porta-voz.
ROSANITA CAMPOS

Fonte - A Hora do Povo
Postar um comentário

Documentários e Vídeos

Intelectual da Ucrânia fala sobre as "repressões de Stalin"  ¡Stalin de acero, conciencia del obrero! O nome da Rússia: Stalin, por Valentin Varennikov 

Postagens populares

Seguidores