Agora

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Sobre Stalin e o "culto á personalidade": 2


Fevereiro de 1938: 
Sou totalmente contrário à publicação de histórias da infância de Stalin [...]

O livro está repleto de inexactidão nos factos, de alterações, de exageros e de imerecidos elogios [...]

Mas ... a questão é que o livro tende a gravar na mente das crianças soviéticas (e do povo em geral) o culto à personalidade dos líderes, alguns infalíveis heróis. Isso é perigoso e prejudicial. A teoria dos "heróis" e a "multitude" não é uma teoria bolchevique, mas social-revolucionária [...]
 Sugiro queimar o livro.   

- I V. Stalin: Works, pág. 237. Citado em Grover Furrer, As Mentiras de Khrushchev (de próxima publicação).

Fonte - ESTOUTRAS
Postar um comentário