sábado, 29 de outubro de 2011

A União Soviética invadiu a Polônia junto com os nazistas em 1939?

Mapa presente no site "Worldology", que reflete a versão mais divulgada acerca dos fatos da época



A União Soviética invadiu a Polônia junto com os nazistas em 1939?
Por Cristiano Alves


10 fatos que refutam a versão mais popular nos livros de história ocidentais


É comum encontrar em livros de história, tanto brasileiros quanto poloneses, a versão segundo a qual "nazistas e comunistas partilharam a Polônia" iniciando a II Guerra Mundial. O autor deste artigo, que estudou em escola brasileira e teve acesso acesso a livros de história poloneses resolveu investigar esta versão que faz parte do credo segundo o qual "comunismo e nazismo são gêmeos", versão essa que ignora vários fatos e tenta reescrever a história. Segue-se aqui uma lista com 10 fatos que refutam completamente este mito, embora apenas um deles já seja necessário para colocar abaixo todo um castelo de cartas de mentiras. Isso você não verá em nenhuma superprodução cinematográfica polaca:

1- A Alemanha invadiu a Polônia, após isso, o governo polonês entrou em colapso, deixando aquele Estado de existir formalmente, pelas regras de Direito Internacional, assim, a Polônia passava a ser um território contestado, isto é, uma “terra-de-ninguém”. Desconstituído o seu governo e cessando a existência deste Estado, o Exército Vermelho retomou áreas que lhe foram tomadas dos alemães durante a I Guerra Mundial e mais tarde incorporadas à Polônia, áreas que compreendem as regiões da Bielorrússia e Ucrânia ocidentais.

2- Quando a Alemanha nazista invadiu a Polônia em setembro, o governo polonês, até então existente, declarou guerra à Alemanha, não à União Soviética. A inexistência de uma declaração de guerra do governo da Polônia contra a URSS por si só já torna falsa a idéia de "invasão soviética".

3- O comandante supremo das forças polonesas, o Marechal da Polônia Rydz-Smigly, ordenou às tropas polonesas que não combatessem os soviéticos, que combatessem somente os alemães, devendo até mesmo entregar as suas armas aos soviéticos no leste do país. Embora algumas tropas polonesas tenham entrado em combate com tropas soviéticas, como durante a batalha pela retomada da Fortaleza de Brest, que desempenhou um papel fundamental na resistência anti-fascista, tratava-se de guarnições agindo isoladamente por conta própria, insubordinadas ao comando supremo polaco. Segue-se a declaração do marechal polonês proibindo o Exército Polonês de combater o Exército Soviético e recomendando a entrega das armas caso fosse exigido pelos comunistas:


4- O presidente Ignaz Mosciski, internado na Romênia, admitiu tacitamente que a Polônia não tinha mais um governo. Isso, aliás, era amplamente conhecido na época, sendo universalmente aceita a sua renúncia tácita. Aqui a prova com notícias de jornal da época:


5- O governo da Romênia, aliada da Polônia contra a URSS, não apenas admitiu que a Polônia não tinha mais um governo, como não declarou guerra contra a URSS quando esta recuperou seus antigos territórios. A posição deste país era completamente coerente com a sua neutralidade no conflito, pois se o governo romeno reconhecesse o governo internado da Polônia como um "governo no exílio", este país estaria rompendo a sua neutralidade no conflito, posicionando-se nitidamente a favor do lado polonês.

6- A França, que tinha um tratado de aliança militar com a Polônia contra a URSS, não declarou guerra a esta, embora tenha declarado guerra à Alemanha nazista. Esta guerra entre França e Alemanha era informalmente conhecida pelos soldados como "a guerra de brincadeira", pois praticamente não se viu um só combate entre forças francesas e inglesas contra os alemães durante mais de 8 meses. Partes da França foram conquistadas pelos alemães praticamente sem se disparar um só tiro.

7- Após o término da guerra, a Inglaterra jamais exigiu que a URSS retirasse suas tropas dos territórios antes pertencentes à Polônia, do contrário, ela estabeleceu que estes territórios jamais deveriam fazer parte do novo Estado polaco. O próprio Winston Churchill chegou a declarar em seus "Discursos secretos" que graças ao Exército Vermelho, o que se conhece hoje por "Polônia" não foi varrido da face da Terra.

8- A Liga das Nações jamais declarou a URSS como invasor de um Estado membro(a Polônia era mebro da Liga). O artigo 16 de sua convenção incitava os países membros a declarar sanções econômicas contra Estados que recorressem à guerra para solução de seus conflitos. Nenhum Estado do mundo declarou qualquer sanção econômica à URSS, nenhum país rompeu relações diplomáticas com a URSS.

Todavia, quando a URSS atacou a Finlândia em 1939, a Liga votou para expulsar a União Soviética e vários países com ela romperam todas as relações diplomáticas.

Uma resposta bem diferente que nos revela como a Liga via o caso da Polônia anteriormente!

9- Todos os países aceitaram a declaração da URSS de neutralidade no conflito polaco-germânico.

10- Qualquer definição de “Estado” no direito internacional compreende a de uma “entidade política organizada”. A partir do momento em que o governo polonês cruzou a fronteira da Romênia, país neutro, com o animus de fugir para aquele país sem constituir um governo no exílio, deixou de existir o Estado Polonês, este seria mais tarde constituído no exílio, porém sem qualquer soberania sobre as terras polonesas, que só vieram a conhecer um governo nacional após a sua libertação pelas tropas do Exército Soviético.

A conclusão é que nenhuma evidência factual ou documental da suporte à idéia de "invasão da Polônia pela Alemanha e URSS", sendo esta uma criação recente, mitológica, que tem por objetivo a reescritura da história e a perseguição política e penal dos comunistas na Polônia e em outros países, assim como uma tentativa frustrada de igualar um ideal humanista, voltado para a libertação da classe operária mundial, com um ideal terrorista e reacionário quase riscou países e povos do mapa. Embora muito se fale sobre o Pacto Molotov-Ribbentrop, jamais se tratou de uma "Aliança militar", mas tão somente de um tratado de não-agressão que objetivava adiar a guerra e impedir que acontecesse o que aconteceu na Guerra Civil Russa, quando alemães e praticamente toda a Europa Ocidental invadiu a Rússia para conter a propagação do comunismo. Ao contrário do alegado, o texto original do Pacto Molotov-Ribbentrop não fala de "partilha da Polônia" como alegado por alguns autores. Livros de história que falam em "invasão da Polônia por Stalin" não passam de revisionistas desonestos que visam encobrir a própria participação de países capitalistas no fortalecimento do nazi-fascismo.


Fontes

FURR, Grover. Did the Soviet Union invade Poland in September 1939? .
Artigo científico publicado na página do referido professor em http://chss.montclair.edu/english/furr/research/mlg09/did_ussr_invade_poland.html . Acesso em 20/10/2011

Pacto Molotov-Ribbentrop. Cópia do documento original, em http://www.lituanus.org/1989/89_1_03.htm Acesso em 20/10/2011


Postar um comentário

Documentários e Vídeos

Intelectual da Ucrânia fala sobre as "repressões de Stalin"  ¡Stalin de acero, conciencia del obrero! O nome da Rússia: Stalin, por Valentin Varennikov 

Postagens populares

Seguidores