domingo, 5 de maio de 2013

A Saudação da CIPOML para os promotores da Conferencia de Florença ( Com Stalin para o socialismo - 17/03/2013 )



Saudação da CIPOML para os promotores da Conferencia de Florença

Aos nossos camaradas e amigos italianos promotores da Conferencia  "com Stalin para o socialismo" e às todos os participantes,

O Comité de Coordenação da Conferência Internacional de Partidos e Organizações Marxista-Leninistas (CIPOML), saúda com entusiasmo a adivinhada iniciativa que vocês tomaram para comemorar o sexagésimo aniversário da morte do camarada Stalin, grande líder comunista e do proletariado internacional.
Sobre a figura de Stalin a burguesia local e internacional derramou toneladas de calúnias, mentiras, insultos, bem como tem deformado a sua vida e a sua obra colossal.


O anti-stalinismo, promovido pelo imperialismo, pela burguesia e pela reação internacional, é uma forma de anti-comunismo. E no anti-stalinismo, incentivado pelos reformistas, revisionistas e renegados, caem, às vezes inconscientemente, muitas pessoas que embora não são anticomunistas fazem o jogo da reação.


Esta campanha, embora seja presente por mais de meio século, não pôde eliminar a figura do nosso companheiro e líder Stalin. Não podem e não vão apagá-lo, porque os fatos, não apenas aqueles teóricos – a sua obra é de valor universal para os militantes comunistas - mas os resultados práticos, obtidos pela URSS, sob a direção do Partido Comunista (bolchevique) de toda a União, encabeçada por Stalin, são inegáveis.


A União Soviética mudou do ser um país que com a morte de Lênin lutava para superar os problemas criados pelos ataques da reação internacional, à ser uma potência mundial. Foi o Exército Vermelho que derrotou a besta nazista, nas batalhas de Kursk e Stalingrado, contribuindo para a libertação de metade da Europa e conquistando Berlim, no 2 Maio de 1945. Tudo isso é necessário que seja repetido, com o Partido dirigido por Stalin e com o heroico povo soviéticos que sofreu perdas enormes, sem que nada pudesse parar o seu ímpeto.


Essas coisas são conhecidas, mas é preciso lembrar-as, especialmente às novas gerações, porque a campanha anti-comunista continua. Mas nem a lama espalhada pelo traidor Khrushchev com o seu relatório "secreto",  nem a glasnost de Gorbachev e dos seus sucessores, dos líderes dos partidos que têm caídos no revisionismo mais abjeto e no oportunismo, foram capazes de limpar a memória coletiva dos comunistas, dos trabalhadores e dos povos. Na mesma antiga URSS persiste a certeza que na era de Stalin foram obtidos grandes sucessos na construção do socialismo e uma riqueza, agora perdida, que preencheram de orgulho o povo soviético e os comunistas de todo o mundo.


Stalin, para todos nós é um verdadeiro gigante, apesar das mentiras e calúnias ditas contra ele. E nós temos que continuar a aprender dele.


Neste momento em que a crise global do imperialismo afeta brutalmente os povos, particularmente na Europa (Grécia, Portugal, Espanha, Itália ...) e sobre o proletariado e as camadas populares é transferido o peso das medidas ditadas pela troika UE-BCE-FMI que semeiam desemprego, fome, miséria, e nos fazem recuar de volta um século, nós comunistas devemos colocar-nos na cabeça das reivindicações e lutas que desenvolvem em todos os lugares.


Infelizmente, em muitos países, a divisão, a falta de compreensão da necessidade da unidade, nos enfraquece e nos impede de desempenhar adequadamente este tarefa. Por isso, é necessário trabalhar com coragem para alcançar a unidade comunista, discutindo sem preconceito ou intolerância, eliminando todos os tipos de obstáculos que impedem esta unidade. Engajar-nos nesta luta é também a melhor forma de prestar homenagem à Stalin, à  Lênin, à todos os comunistas que sacrificaram suas vidas para a comum causa revolucionária em todo o mundo.


Uma unidade comunista, que deve ser forjada nos princípios do marxismo-leninismo e do internacionalismo proletário, condição sine qua non de modo que seja real e sólida, uma unidade que devemos ter no coração e continuamente alimentar.


Camaradas e amigos, esperamos fervorosamente que a reunião que vocês estão celebrando em homenagem ao camarada Stalin seja um passo importante no início da pesquisa daquela unidade tão necessária para todos nós.


Honra e glória ao camarada Stalin!
Viva o marxismo-leninismo!
Para a frente na estrada do internacionalismo proletário!
Comitê de Coordenação  da CIPOML
Março 2013


Enviado pelo Camarada - Claudio Buttinelli

Postar um comentário

Documentários e Vídeos

Intelectual da Ucrânia fala sobre as "repressões de Stalin"  ¡Stalin de acero, conciencia del obrero! O nome da Rússia: Stalin, por Valentin Varennikov 

Postagens populares

Seguidores